Resumo do capítulo de hoje – A que não podia amar 155

O advogado comunica a Rogério que Ana quer o divórcio. Rogério diz que assinará desde que ela aceite a pensão para Marquinho. Marquinho diz a Ana que quer que ela e seu pai se reconciliem. Rogério diz a Ana que Cinthia fugiu da prisão e ela e Marquinho estão em perigo, por isso é melhor que voltem para a fazenda. Ana Paula pede a ele que leve Marquinho, mas ela continuará na pensão. Bruno diz ao torto que paga o que ele pedir para que assassine Miguel. Gustavo diz a Ana que Rogério tem razão e pede a ela que fique alguns dias na fazenda.

Ana, diante de Gustavo, pergunta a Rogério se é verdade que ele foi o mandante da agressão sofrida por Gustavo. O “Torto” está a ponto de matar Miguel, mas antes diz que Bruno pagou a ele muito mais do que seu protetor, conta que foi Rosaura quem pediu a Bruno que mandasse agredir Gustavo para que sua irmã se casasse com Rogério e depois Bruno ficaria com ela e com a herança do fazendeiro. Vanessa diz a Bruno que já soube que foi ele quem mandou que agredissem o irmão de Ana Paula e não o quer mais como sócio.

Miguel é posto em liberdade e pede explicações a Rosaura por todo mal que fez a ele e sua irmã. Bruno, para  evitar que Miguel os denuncie, dispara contra ele e obriga Rosaura a acusar Cinthia pelo disparo. Miguel morre sem poder dizer a verdade a Ana Paula. Rogério e Ana assinam o divórcio. Rogério volta a suplica a Ana que o perdoe. Gustavo propõe a Ana que voltem a ficar juntos, mas ela tem dúvida por que continua amando Rogério.