Campeão brasileiro de balonismo desenvolve túnel inflável para combater o coronavírus

Por todo o mundo, pessoas físicas e empresas de vários setores estão buscando soluções para garantir nossa vitória contra o COVID-19.

A cidade de Boituva, no interior de São Paulo é conhecida pelo verdadeiro show aéreo que proporciona com diversas modalidades de esportes do ar. No entanto, nas últimas semanas a cidade ganhou destaque pela verdadeira ofensiva que está formando contra o coronavírus.

De forma visionária, dois empresários da cidade decidiram unir forças para criar uma solução viável e relevante contra o avanço do coronavírus.

Ricardo Almeida e Caco Marques

Ricardo Almeida é um experiente balonista brasileiro. Foi campeão nacional na edição de 2001 em Torres, e é também o fundador da Aeromagic Balloons, indústria especializada na fabricação de balões de ar quente e infláveis.

Caco Marques é piloto de balão, assim como Ricardo, e também é CEO na Caco Balloons, empresa familiar já em sua segunda geração, com 35 anos no mercado.

O DesinfecTúnel

Trata-se de um túnel inflável equipado com tecnologia para a desinfecção através de um sistema gerador de produto sanitizante antibacteriano, virucida e antifúngico, que é nebulizado automaticamente no interior do túnel.

Prefeito de Boituva, SP no interior do DesifecTúnel


A névoa expelida através dos nebulizadores é capaz de eliminar bactérias, vírus e fungos 35 vezes mais rápido que o cloro, em um tempo de 15 a 20 segundos, estando no interior do túnel.

O funcionamento do túnel desinfectante

O equipamento ozoniza a água sob demanda, ou seja, pulveriza o ozônio aquoso sobre as pessoas no seu nível máximo, fornecendo de forma simples uma sanitização eficiente.


Túnel inflável para prevenção do coronavírus criado pela Inflatech


A água é utilizada como agente carregador do ozônio, que neste estado é inócuo, tem zero agressividade e não gera riscos à saúde das pessoas. Mesmo após a saída do túnel, as gotículas continuam agindo por um período de até uma hora e meia.

Diversos estudos mostram que o ozônio oxida o vírus, deixando-o inativo. A desinfecção total depende de pelo menos 20 segundos dentro do túnel.

Os fabricantes lembram que não é correto dizer que o ozônio vai matar o vírus ou bactérias em 15 a 20 segundos, este é o tempo de nebulização. Após a nebulização, o ozônio que está na superfície do indivíduo irá agir e realizará sua ação virucida.

A finalidade do equipamento é evitar que agentes carreadores (pessoas), levem o vírus que esteja em sua superfície para dentro de outros ambientes, o que diminuirá a curva de contágio.

O ozônio não trata a doença e sim previne a disseminação do vírus.

O equipamento não apresenta efeitos colaterais, não agride as roupas, não utiliza produtos químicos, possui alto poder oxidante e pode ser ligado a rede hídrica ou reservatórios.

Sua capacidade de atendimento é de até 370 pessoas por hora, opera com baixo custo de energia e possui acionamento automático do nebulizador.

Em Boituva

A cidade dá exemplo implantando equipamento na prefeitura. “Estamos felizes por Boituva ter pessoas envolvidas em trazer soluções; a Prefeitura de Boituva é a primeira do país a ter esse sistema instalado”, comentou o prefeito.

Primeiro túnel desinfectante instalado na prefeitura de Boituva, SP.


O túnel foi doado pela Inflatech ao município. A empresa responsável pelo túnel possui autorização da Vigilância Sanitária para exercer a atividade.