Lava Jato Luiz Inácio Lula da Silva Lula Política PT

PT promete boicotar eleições se Lula não for candidato e alerta para guerra civil

Nada de plano B. O PT (Partido dos Trabalhadores) já admite que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva poderá ficar fora da disputa presidencial do ano que vem e já tem um plano C: boicotar as eleições de 2018. A ideia, caso não consiga emplacar a candidatura de Lula, é também deixar de lançar candidaturas ao Senado e à Câmara dos Deputados e iniciar uma caminhada internacional divulgando e buscando apoio para combater o que considera uma rachadura na democracia brasileira. 
Impedir Lula de disputar a presidência seria uma fraude nas eleições, segundo a presidente nacional do partido, senadora Gleisi Hoffmann. Durante entrevista à BBC Brasil, ela informou que o boicote não está sendo definido de forma oficial, por enquanto, mas é o caminho que poderá ser seguido, caso Lula seja impedido de ser candidato a presidente da República. Para ela, o processo não tem nenhuma base jurídica. 
O ex-presidente foi condenado em primeira instância dentro da Operação Lava Jato. Pesa sobre ele a acusação de receber um triplex da construtora OAS em forma de propina, mas o petista nega a acusação. A situação começou a ficar mais complicada com a delação do seu ex-ministro da Fazenda, Antonio Palocci. 
Caso a sentença do juiz Sérgio Moro seja confirmada em segunda instância, Lula terá sua candidatura a presidente barrada pela lei da Ficha Limpa, mas os analistas acreditam que isso seja difícil de acontecer até a realização das próximas eleições. 

Convulsão social causaria guerra civil no país
Para algumas correntes do Partido dos Trabalhadores, o boicote às eleições seria uma espécie de saída honrosa para o PT, que hoje adota um discurso de vítima de perseguição política pelo Judiciário brasileiro e o Ministério Público. O plano de boicotar as eleições contaria com o apoio do ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, que teria sua imagem de líder resgatada diante de delações de antigos companheiros de partido, como Palocci, por exemplo. 
Segundo o deputado estadual José Américo (PT-SP), a primeira alternativa seria forçar a candidatura de Lula, apelando em último caso ao Supremo Tribunal Federal para a suspensão da decisão da condenação. Se essa estratégia falhar, aí entraria em cena a ideia do boicote às eleições usando a justificativa de que não querem deixar o povo escolher e dessa forma poderá ocorrer uma convulsão social. “Um risco de guerra civil no país”. alertou o deputado. 
  
Gente Famosa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *